A Conferência Internacional “(Non) Reproductive Freedom”, por Anne Cova

EVENTS_LIFE.png

Imagem4Anne Cova (historiadora), membro do GI LIFE, participou na Conferência Internacional “(Non) Reproductive Freedom”, na Ca’ Foscari University of Venice, em Veneza, no passado dia 5 de dezembro, com a comunicação “Feminisms and neo-malthusianisms during the French Third Republic”. A convite do GI partilha algumas impressões sobre o evento.

Como foi o encontro?
Foi muito intenso (dois dias com 16 comunicações) e teve lugar na universidade Ca´Foscari que está muito bem localizada no centro histórico de Veneza. O público era composto por numerosos estudantes e houve muitos debates. Os temas foram diversos e de atualidade: desde a questão do aborto (que como vimos ainda há alguns dias foi muito falada nos media, com a participação de Donald Trump na marcha contra o aborto nos EUA) até à gestação de substituição, passando pelas repercussões da política do filho único e as políticas de esterilização.

O que gostaria de destacar?
A internacionalização do encontro, não apenas com colegas provenientes da Europa (Alemanha, Espanha, Inglaterra, Itália, Polónia e Portugal), mas também de países como a China, a Índia e o Japão.

Quer partilhar algo que tenha sido inspirador para si?
Para além da internacionalização do encontro que foi notável, para mim foi igualmente inspiradora a interdisciplinaridade: História, Ciência Política, Direito e Sociologia. Penso que as duas características fizeram o sucesso do encontro, bem como o local escolhido: uma bela sala de uma biblioteca antiga com vista sobre os palácios ao longo do grande canal de Veneza. Organização perfeita num sítio belíssimo.

Que relevância (científica, política, social e/ou outra) atribui ao encontro?
Este tipo de encontro internacional interdisciplinar pode ter de facto vários impactos: científico, para perceber melhor numa perspetiva transnacional a relevância dos temas abordados; política, no sentido que são questões debatidas na atualidade e que são objeto de legislação; social, pelo importante papel desempenhado pelas ONG.​


Anne Cova é investigadora responsável do projeto WOMASS, Mulheres e Associativismo em Portugal, 1914-1974, financiado pela FCT (PTDC/HAR-HIS/29376/2017​). Investiga a história comparada e transnacional das mulheres e do género no século XX, encontrando-se atualmente a realizar um estudo de várias associações intituladas «conselhos nacionais das mulheres» na Europa do Sul e na América Latina, entre 1900 e 1945.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s