Artigos em Outubro (II)

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum após o período estival damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Nesta segunda entrada da rubrica damos destaque a três artigos publicados na revista Portugal Journal of Social Sciences (PJSS). Este número do PJSS contém um dossier temático organizado em co-autoria pela Vanessa Cunha, que também co-assina a introdução. O tema deste dossier é a questão do tempo. Sendo este um tema com uma amplitude vastíssima, os artigos incluídos abordam temas muito variados, desde a gestão e usos do tempo nos quotidianos familiares à estrutura dos tempos biográficos e geracionais.

Sofia Aboim, no artigo Reassessing (De)standardization: Life course trajectories across three generations, analisa de forma crítica a aplicabilidade da hipótese de desandardização do percurso de vida no caso português. Partindo da análise das trajetórias de vida de três gerações de portugueses e portugueses, a autora procura identificar a existência de uma biografia padrão, para posteriormente derivar da mesma padrões de heterogeneização das trajetórias. Nesta perspectiva, reavalia em que medida o modelo de desandardização é adequado para explicar as transformações do percurso de vida na sociedade portuguesa.

Mafalda Leitão, no artigo Time-sharing in parental leave: Why and how fathers assess their time to care home alone, discute os desenvolvimentos recentes nas políticas de licença parental e o seu papel nas políticas de igualdade de género. O trabalho tem por base um estudo qualitativo em Portugal. A autora identifica duas motivações principais para a partilha da licença parental por pais e mães – assistenciais e instrumentais. Estas motivações influenciam de forma decisiva o tempo usado pelos pais. São identificados vários perfis que articulam estas motivações com a negociação familiar do tempo e os contextos laborais.

Boas leituras!


ARTIGOS

Sofia Aboim
Reassessing (De)standardization: Life course trajectories across three generations
Portuguese Journal of Social Science, 18(3), 299-318 https://doi.org/10.1093/sp/jxaa011

Mafalda Leitão
Time-sharing in parental leave: Why and how fathers assess their time to care home alone.
Portuguese Journal of Social Science, 18(3), 265-282 http://hdl.handle.net/10451/44442



Artigos em Outubro (I)

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum após o período estival damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Este período foi muito prolífero em termos de artigos. Nesta primeira entrada da rubrica damos destaque a três artigos que abordam questões de sexualidade, reconhecimento da identidade sexual e cidadania.

Sofia Aboim, no artigo Fragmented Recognition: Gender Identity between Moral and Legal Spheres, discute os pressupostos e as modalidades de reconhecimento legal dos indivíduos transgénero em diferentes geografias (Reino Unido, Portugal e Nepal). Baseando-se na noção de esferas de reconhecimento de Axel Honneth e na crítica de Nancy Fraser ao modelo de identidade de reconhecimento, argumenta que não apenas o reconhecimento da identidade implica o não reconhecimento, mas também que diferentes formas de reconhecimento funcionam de maneiras que produzem fragmentação e disjunção.

A dinâmica paradoxal de reconhecimento é ilustrada num outro artigo (Gender in a box? The paradoxes of recognition beyond the gender binary) em que Sofia Aboim argumenta que o modelo de reconhecimento de identidade de género tende a impor uma norma em vez de reconhecer a diversidade. O texto examina o caso do Nepal numa perspectiva comparativa com outros desenvolvimentos na Ásia e na América do Sul, demonstrando que o modelo de reconhecimento de identidade é cúmplice de sentimentos e práticas de não reconhecimento.

Bojan Bilić explora os debates em torno de Ana Brnabić, a primeira primeira-ministra abertamente lésbica na Sérvia e na Europa Oriental. Com base em diversas fontes empíricas, argumenta que os atores envolvidos nos debates sobre a vida (pública e privada) de Brnabić estão emaranhados num ciclo de abjeção e em fortes tendências patriarcais. Segundo o autor estas tendências são transversais ao espectro político e estruturais na política da Sérvia.

Boas leituras!


ARTIGOS

Sofia Aboim
Fragmented Recognition: Gender Identity between Moral and Legal Spheres
Social Politics: International Studies in Gender, State & Society, jxaa011, https://doi.org/10.1093/sp/jxaa011

Sofia Aboim
Gender in a box? The paradoxes of recognition beyond the gender binary
Politics and Governance, 8 (3) DOI: 10.17645/pag.v8i3.2820
http://hdl.handle.net/10451/44219

Bojan Bilić
Ana is here: Abjection, class privilege, and the prime minister Ana Brnabić
Sociologija, 62(3), 378-396. DOI 10.2298/SOC2003378B http://hdl.handle.net/10451/44442



Livros em Outubro

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum, após o período estival, damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Boas leituras!


LIVROS

Isabel Freire
Sexualidades, Media e Revolução dos Cravos
ISBN: 978-972-671-596-2.

O novo livro de Isabel Freire procura responder à questão: que temas da intimidade afetiva e sexual entram na agenda mediática com a chegada da Revolução dos Cravos? A partir de uma análise extensiva da imprensa da época, identificam-se assuntos que vão desde o amor livre, feminismo e, homossexualidade, à educação sexual e contraceção, passando pelo aborto e terapia sexual. A autora analisa ainda a polémica gerada em torno da carta de uma jovem de 14 anos que se inicia sexualmente na noite de 25 de Abril de 1974, O estudo da agenda mediática das sexualidades neste momento de mudança política e social é um contributo para a reflexão sobre a cidadania da intimidade em Portugal, em (re)equação permanente até aos nossos dias.


Capítulos e artigos em junho

POST_SCRIPTUM.png

Nesta rubrica destacamos mensalmente publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULIsboa).

Este mês destacamos quatro publicações novas (dois capítulos e dois artigos).
O capítulo de Isabel Freire contribui para a reflexão sobre a história da sexologia (e da sexualidade) em Portugal, especificamente entre no período que abrange o final do Estado Novo, a Revolução de 25 de abril de 1974 e o início da democracia. Analisam-se discursos mediáticos sobre a sexualidade e o papel que os media desempenharam no agendamento das questões do bem-estar e da saúde sexual e reprodutiva, bem como a sua articulação com a luta pela emancipação feminina.

O ensaio de Manuel Villaverde Cabral trata de alguns projectos editoriais dos anos 40 e 50 do século XX que veicularam discursos textuais e visuais marcados por uma posição diversa e adversa à propaganda do Estado Novo, ao mesmo tempo que combinavam em graus distintos o texto com a fotografia.

O artigo de José Nuno Matos analisa as transformações estruturais no campo da imprensa e no exercício da profissão de jornalista. A reconfiguração das últimas décadas é marcada pelo desemprego e pela precarização das condições laborais. O texto analisa estas transformações a partir das trajectórias sócio-profissionais de ex-jornalistas, olhando para o que levou ao término das suas carreiras, à trajectória subsequente e ao modo como atualmente encaram o jornalismo.

O artigo de Vasco Ramos analisa algumas experiências de pobreza alimentar de crianças de famílias em situação de pobreza em Portugal, a partir de dados de um estudo europeu. Os discursos das crianças colocam em evidência de que forma a pobreza alimentar se incorpora nas suas vidas, afectando não só a qualidade e a quantidade de alimentos, como também reduzindo as oportunidades de socializar com família, colegas e amigos e criando stress emocional.

Boas leituras!


CAPÍTULOS DE LIVRO

Isabel Freire
A afirmação de uma visão terapêutica da sexualidade nos media portugueses após a Revolução dohs Cravos
In Quartilho, M. J. R. (Ed.), Psiquiatria Social e Cultural – Diálogos e Convergência, pp. 241-263
Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra
ISBN 978-989-26-1928-6.
DOI 10.14195/978-989-26-1928-6_9

Manuel Villaverde Cabral
Projectos editoriais e contradiscursos: livros ilustrados & fotolivros, 1940-1960
In Serra, F., André, P., Rodrigues, S. L. (Eds.), Projectos Editoriais e Propaganda Imagens e Contra-Imagens no Estado Novo, pp. 303-325
Lisboa: ICS. Imprensa de Ciências Sociais
ISBN 978-972-671-575-7


ARTIGOS

José Nuno Matos
It Was Journalism that Abandoned Me”: An Analysis of Journalism in Portugal
tripleC: Communication, Capitalism & Critique, 18 (2), 535-555.
DOI 10.31269/triplec.v18i2.1148

Vasco Ramos
Children’s experiences of food poverty in Portugal: Findings from a mixed-method case study approach
Children and Society, First published 08 June 2020
https://doi.org/10.1111/chso.12401.


Livros & capítulos em Maio

POST_SCRIPTUM.png

Rubrica mensal com destaque para publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Boas leituras!


LIVROS

José Machado Pais
Jóvenes y Creatividad. Entre futuros sombríos  y tiempos de conquista
Barcelona: Ned Ediciones. ISBN: 978-84-16737-89-5]; eISBN: 978-84-16737-93-2.

Excerto do prólogo Hijo del fado: una conversación con José Machado Pais, de Carles Feixa:

Como Paulo Freire nos enseñó, la inexorabilidad del futuro es la negación de la historia. Por lo tanto, el futuro debe ser cuestionado en lugar de ser delimitado. En el presente libro, me propongo precisamente un cuestionamiento del futuro que nos permita imaginarlo. De esa forma, hacemos presente el futuro. ¿Y cómo podemos imaginar el futuro? En la lógica de los sistemas que se autoconstruyen, es decir, reflexivamente.

José Machado Pais


Bojan Bilić
Trauma, Violence, and Lesbian Agency in Croatia and Serbia: Building Better Times
Cham: Palgrave Macmillan. ISBN 978-3-030-22959-7

O livro de Bojan Bilić, Trauma, Violence, and Lesbian Agency in Croatia and Serbia: Building Better Times, trata os trauma da guerra, da homofobia e do capitalismo neoliberal como uma experiência verbal impenetrável que deseja ser narrada. A monografia explora as maneiras pelas quais a linguagem lésbica feminista emergiu repetidamente no contexto de um forte silenciamento patriarcal que cercou os conflitos armados de a sucessão jugoslava.


CAPÍTULO DE LIVRO

Destaque também para o capítulo de José Luís Garcia acerca dos biobancos, em que se discutem as complexas relações entre práticas científicas, desenvolvimentos tecnológicos e dinâmica mercantil em torno da vida e dos bens que corporizam.

José Luís Garcia
Os biobancos e a questão das práticas técnológicas e da dinâmica mercantil em torno da vida e dos bens que corporizam
In Silva, J. P. e Barros, H. (Eds.), Biobancos, investigação e Saúde Pública: promessas e desafios, pp. 59-67 . Porto: Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto. ISBN 978-989-99644-4-0.

“Onde gastei, eu, hoje, o meu tempo?”

Life_GOES ON 1

Vanessa Cunha, ICS-ULisboa

Em plena crise pandémica, o meu relógio parou… o de pulso, o que anda sempre comigo para todo o lado. Parou às 7 horas e 10 minutos. Se da manhã ou da tarde, não sei (é um relógio analógico)… Mas ambos os horários são igualmente sugestivos, pois reenviam-me para a minha existência pré-COVID-19, para um tempo em que 7:10 era (mais coisa, menos coisa) a hora de acordar, com a ajuda do despertador, e em que 19:10 era (mais coisa, menos coisa) a hora de chegada do comboio, de regresso a casa, ao final de um dia de trabalho. Marcadores dos meus ritmos diários, há anos, muitos, apenas dispensados em fins-de-semana e em férias, tempos menos espartilhados por horários rígidos.

Quando o relógio parou fiquei apreensiva: “Logo agora, que está tudo fechado! Onde vou eu desencantar uma pilha?” É preciso dizer que gosto de usar relógio (é uma segunda pele, tal como os óculos) e sempre resisti a substituí-lo pelo versátil telemóvel, que entre tantas coisas que nos permite fazer, ver as horas é apenas uma delas. Não é, contudo, a mesma coisa, não está sempre à mão, ao subtil e natural(izado) rodar do pulso, e é tão dispersivo que não me transmite a segurança de que sou dona do meu tempo (cada qual com a sua mania…).

Vanessas watch

O relógio da Vanessa

Continuar a ler

As tecnologias digitais entre os casais com filhos em tempo de Covid-19

Life_GOES ON 1

Silvia Di Giuseppe, doutoranda em Sociologia (OpenSoc), ICS-ULisboa

1A Itália foi, e continua a ser, o país europeu mais afectado pela Covid-19. Há semanas que se lê e se ouve falar, nos média, de permanência forçada em casa e possibilidade de saída apenas por extrema necessidade, dois dos imperativos categóricos estabelecidos pelo governo italiano para poder enfrentar a emergência, que os cidadãos devem tentar respeitar tanto quanto possível. Tendo em conta a propagação da pandemia, foram adoptadas medidas de contenção, ou seja, vários decretos legislativos actualizados, de acordo com a gravidade da situação, ao longo dos dias.

A parte mais visível desta situação para os cidadãos é que, na vida quotidiana, as consequências e reacções a estas restrições variam de pessoa para pessoa, apresentando, em alguns casos, um verdadeiro desafio entre risco e possibilidade. Continuar a ir trabalhar, por exemplo, é importante para prover às próprias necessidades económicas e familiares mas, ao mesmo tempo, o perigo de contrair o coronavírus está definitivamente ao virar da esquina. Para além dos pretextos de ir ao supermercado para comprar alimentos, ou à farmácia para medicamentos, outras situações podem acarretar problemas graves.

Continuar a ler

Regressando à América do Sul – Emerson Pessoa, alumni de doutoramento (ICS-ULisboa)

RESEARCHING_LIVES.png

emerson

Emerson, onde estás agora e que planos tens para o presente?

Após o fim do doutoramento regressei para a Universidade Federal de Rondônia (UNIR-Vilhena) para retomar as atividades como professor de Sociologia no Departamento de Administração. Neste semestre estou a lecionar as disciplinas de Sociologia, Antropologia e Metodologia da Pesquisa Científica para as licenciaturas em Administração e Letras. Os planos a curto-médio prazo são prosseguir com as atividades como coordenador do grupo de pesquisa HIBISCUS (Grupo de Pesquisa e Extensão sobre Gêneros, Discursos e Comunicação na Amazônia Ocidental), a orientação de Trabalhos de Conclusão de Curso e de Dissertações de Mestrado, Projetos de Extensão e a publicação dos artigos da minha tese.

Na tua bagagem o que levaste de melhor da academia portuguesa?

Os 4 anos em que cursei o doutoramento no ICS foram cruciais para o desenvolvimento das minhas habilidades como pesquisador. O ICS, principalmente na pessoa do meu orientador Vitor Ferreira, foi fundamental para o aprendizado de novas metodologias, técnicas de pesquisa e de análises de dados que serão utilizados nesta nova fase da minha trajetória como pesquisador e professor. Além disso, o doutoramento propiciou o contato com inúmeros pesquisadores de diversas regiões do mundo e consequentemente, a compreensão das diferenças, desigualdades e dificuldades dos campos acadêmicos. Por outro lado, as experiências na universidade portuguesa possibilitaram percepções críticas sobre a produção do conhecimento científico em Portugal e no Brasil e que serão valiosos para este novo momento da minha vida profissional.

No futuro, o ICS poderá vir a…

Ser a minha instituição de acolhimento para um futuro pós-doutoramento e/ou um parceiro no desenvolvimento das minhas próximas pesquisas. O ICS será lembrado como uma casa onde vivi um importante momento da minha trajetória acadêmica. Mais do que isso, um local onde constituí laços profissionais e de amizade. Agradeço à comunidade ICS pelo suporte recebido durante toda a minha estadia na cidade de Lisboa e no Instituto.

 

BIO

Emerson Pessoa doutorou-se em Sociologia (Programa Interuniversitário de Doutoramento OpenSoc), em 2020. Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e fez mestrado nesta mesma área e instituição. As suas pesquisas permeiam as discussões sobre corpos, gêneros, sexualidades, biotecnologias e processos de subjetivação.

 

 

A Conferência Internacional “(Non) Reproductive Freedom”, por Anne Cova

EVENTS_LIFE.png

Imagem4Anne Cova (historiadora), membro do GI LIFE, participou na Conferência Internacional “(Non) Reproductive Freedom”, na Ca’ Foscari University of Venice, em Veneza, no passado dia 5 de dezembro, com a comunicação “Feminisms and neo-malthusianisms during the French Third Republic”. A convite do GI partilha algumas impressões sobre o evento.

Continuar a ler

As mulheres e o associativismo em Portugal (1914-1974)

isabel

 

Isabel Freire é socióloga e investigadora no ICS-ULisboa.


cropped-dkO projeto de investigação WOMASS (do inglês Women and Associativism) estuda organizações femininas e feministas criadas em Portugal entre 1914 e 1974. Desenvolvido no ICS-ULisboa, sob coordenação de Anne Cova (historiadora) e cocoordenação de Vanda Gorjão (socióloga), com financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/HAR-HIS/29376/2017), tem uma duração estimada de 3 anos (2018-2021), e conta com uma equipa de 10 investigadores afiliados em 5 organismos nacionais (ICS-UL, ISCSP-UL, NOVA FCSH, Universidade Católica e Universidade do Minho): Ana Costa Lopes, Fátima Mariano, Isabel Freire, João Esteves, Manuela Tavares, Natividade Monteiro, Raquel Rego e Sílvia Espírito-Santo fazem parte da equipa. Continuar a ler