Livros & capítulos em Maio

POST_SCRIPTUM.png

Rubrica mensal com destaque para publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Boas leituras!


LIVROS

José Machado Pais
Jóvenes y Creatividad. Entre futuros sombríos  y tiempos de conquista
Barcelona: Ned Ediciones. ISBN: 978-84-16737-89-5]; eISBN: 978-84-16737-93-2.

Excerto do prólogo Hijo del fado: una conversación con José Machado Pais, de Carles Feixa:

Como Paulo Freire nos enseñó, la inexorabilidad del futuro es la negación de la historia. Por lo tanto, el futuro debe ser cuestionado en lugar de ser delimitado. En el presente libro, me propongo precisamente un cuestionamiento del futuro que nos permita imaginarlo. De esa forma, hacemos presente el futuro. ¿Y cómo podemos imaginar el futuro? En la lógica de los sistemas que se autoconstruyen, es decir, reflexivamente.

José Machado Pais


Bojan Bilić
Trauma, Violence, and Lesbian Agency in Croatia and Serbia: Building Better Times
Cham: Palgrave Macmillan. ISBN 978-3-030-22959-7

O livro de Bojan Bilić, Trauma, Violence, and Lesbian Agency in Croatia and Serbia: Building Better Times, trata os trauma da guerra, da homofobia e do capitalismo neoliberal como uma experiência verbal impenetrável que deseja ser narrada. A monografia explora as maneiras pelas quais a linguagem lésbica feminista emergiu repetidamente no contexto de um forte silenciamento patriarcal que cercou os conflitos armados de a sucessão jugoslava.


CAPÍTULO DE LIVRO

Destaque também para o capítulo de José Luís Garcia acerca dos biobancos, em que se discutem as complexas relações entre práticas científicas, desenvolvimentos tecnológicos e dinâmica mercantil em torno da vida e dos bens que corporizam.

José Luís Garcia
Os biobancos e a questão das práticas técnológicas e da dinâmica mercantil em torno da vida e dos bens que corporizam
In Silva, J. P. e Barros, H. (Eds.), Biobancos, investigação e Saúde Pública: promessas e desafios, pp. 59-67 . Porto: Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto. ISBN 978-989-99644-4-0.

Sinead Marian D’Silva shedling some light on youth negotiation of tourism in Goa and Lisbon

RESEARCHING_LIVES.png

Foto redonda

Sinead Marian D’Silva is a research fellow at ICS-ULisboa. We are pleased to introduce you to her study – Youth negotiation of tourism-based employment in Goa and Lisbon – funded by the European Union’s Horizon 2020 research and innovation programme, through a ‘Widening Fellowship’, accepted for funding via the Marie Skłodowska-Curie Actions – Individual Fellowship scheme. The project has the scientific supervision of Dr. Vitor Sérgio Ferreira.

Sinead, tell us about your research project…
My research is on young people working in tourism in Goa and Lisbon, while being ‘local’ to either respective place. In both locations, reactions by ‘locals’ to tourism are represented as either highly contested or completely endorsed as both economies are geared towards the industry. As I begin my research, I hope to understand why young people decide to work in tourism and how they negotiate their participation in it. This includes who they are in society, how they perceive their futures and their relationship with place.

What excites you most about this research plan?
I suppose this is two-fold. In terms of academic interests, the focus on youth futures is a continuation of my previous work. The consideration of it within a contentious industry allows me to take further an interest I have as a researcher, in the empirical sense, as I must confront perspectives that may be different from mine or are not popularly presented. I must then treat them in the way that those narrating them intended while simultaneously maintaining a critical perspective. There is also a personal aspect to it which I will speak later…

Did the global pandemic situation influenced your initial research design? How?
The current pandemic has definitely had an impact on the initial plan for my research. It has sent my fieldwork for a toss – I had just started in March – and made me re-construct it to be back-to-front. My fieldwork has been delayed further by a need to re-apply for ethical clearance – understandably so.

At the moment how are you trying to solve difficulties?
I would not call these difficulties, but rather inconveniences, mostly bureaucratic ones. I suppose such times call for a mobilizing of ‘Plan B’. As social researchers, we are usually prepared to eat some humble pie and realize that circumstances change and our ‘dream project’ may not play out as planned. In practical terms this has meant that rather than starting off with observations and encountering participants ‘organically’, I need to have a virtual approach to contacting people, using the networks I have and my own knowledge. In addition to virtual interviews which will be flexible, I have included a diary method for participants to go their thoughts and experiences in multiple ways, including sharing social media posts they might feel demonstrate this, doing videos, voice messages, and so on. The uptake is yet to be known as I await amended ethical clearance, but if anyone would like to help, here is a link to share.

How does this research fits into your biographical/academic background?
As said previously, this fits with my academic interests in work, youth futures and place-making. I cannot stress how important it is to have some sense of financial stability – even if temporary – when doing research. I feel a sense of confidence and freedom to pursue my work. I hope to demonstrate part of my capacity through this project. On a personal level, following my PhD I feel determined and confident to return to (research about) my home context of Goa. I have also wanted to know more about Portuguese culture and society for a while now, which can perhaps bring me a step closer to understanding my own social and cultural history. It gives me a good opportunity to be critical and appreciative.

Where have you spend most of your life and what would you like to highlight from that place?
I lived in Goa for the most part of my life – in proportion anyway. Following my schooling I lived in Bombay for 7 years and then Leeds in the North of England for 6 years before coming to Lisbon. I am not sure what to say and about which context, but perhaps my research will shed some light on the situation in Goa!

Bio
Social scientist/researcher whose disciplinary background is an intersection of Sociology and Geography. Formal academic focus on work, youth futures and a senses of place. Engaged with research and community-based action for social justice and equality, such as being a member of the steering group for the Inequalities Research Network at the University of Leeds.

Follow her on…
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/sinead-d-silva-15022810a/
Twitter: @CianydeArgentum – https://twitter.com/CianydeArgentum

Rear window / Janela indiscreta

Life_GOES ON 1

Maria Manuel Vieira, ICS-ULisboa

Em 1954 estreava o filme Rear Window / Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock. Considerado por alguns críticos o melhor filme do realizador britânico, o cenário e o enredo apresentam curiosamente fortes homologias com a sociologia e o tempo presente.

O personagem principal, desempenhado por James Stewart, é um jovem fotógrafo a quem um acidente e uma perna engessada o atiram para um confinamento forçado no seu apartamento de Greenwich Village. Sentado numa cadeira de rodas, pretendendo refrescar-se da onda de calor que assola Nova Iorque, encontra distração nas ações dos indivíduos que observa atentamente da janela das traseiras (rear window), aberta de par em par. Encolhido o raio de visão ao tamanho da sua janela, descobre pela primeira vez o mundo próximo que o rodeia: os vizinhos dos apartamentos em frente, os utilizadores do pátio em baixo, os transeuntes que se deslocam no passeio da rua, entrevistos ao fundo.

O acompanhamento diário de hábitos, gestos e horários, ampliado nas lentes dos seus binóculos, permitem-lhe ser testemunha de um acontecimento fatal, que alimentará o clímax de mais este thriller, genialmente encenado pelo mestre do suspense.

Frame do filme Janela Indiscreta, de Alfred HitchcockFrame do filme Janela Indiscreta de Alfred Hitchcock

Continuar a ler

O trabalho sexual feminino, por Roseli Bregantin Barbosa

RESEARCHING_LIVES.png

roseli

Damos as boas-vindas a Roseli Bregantin Barbosa, doutoranda visitante no ICS-Lisboa e integrada no GI LIFE, sob a supervisão de Vitor Sérgio Ferreira.  Desenvolve a sua pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Sociologia, na área de Políticas Públicas e Mudanças Sociais, da Universidade Federal do Paraná (Brasil), orientada por Maria Tarcisa Silva Bega e Miriam Adelman.

Em que consiste o teu projeto de investigação?
Meu projeto consiste em analisar a relação entre a feminização do mercado de trabalho e as demandas por mudanças no estatuto do trabalho sexual feminino, mais especificamente busca perceber como o Estado se posiciona frente tais demandas, na esfera das políticas públicas. Continuar a ler

Vozes e protagonismo de estudantes juvenis brasileiros: análise do projeto “Outros Olhares”

POST-CAST

fláviaFlávia Brocchetto Ramos é Professora na Universidade de Caxias do Sul-RS, e foi investigadora-visitante no ICS-ULisboa.

lovaniLovani Volmer é Professora na Universidade FEEVALE.

A linha literária é um instrumento para
elaborar o mundo interior e, portanto, de
modo indissoluvelmente ligado, a
relação com o mundo exterior.
(Michèle Petit)

O clássico literário ultrapassa barreiras temporais e espaciais. Assim são os contos de Machado de Assis que ainda têm algo a dizer a jovens em idade escolar. Os jovens têm a possibilidade de, pela literatura, ter contato com posições axiológicas de outra época, de estabelecer relações com a atualidade, de refletir sobre a língua e suas variantes, como forma de expressão e identidade dos grupos sociais e da época em foco. Esses contos foram o mote para o “Projeto Outros Olhares”. O Projeto é desenvolvido, anualmente, desde 2002, com alunos do Ensino Médio, em uma escola comunitária da região metropolitana de Porto Alegre, no sul do Brasil, e consiste na leitura e adaptação de contos de Machado de Assis a curtas-metragens. Aqui, tomamos o Projeto e, em especial, um curta para analisarmos a atuação de jovens integrantes da proposta.

3

Cartaz produzido pelos estudantes para o curta Ela. Imagem da Prof.ª Lovani.

Continuar a ler

Em fase janela: dilemas sobre o trabalho de campo à distância

Life_GOES ON 1

Ana Sofia Ribeiro, ICS-ULisboa

1

Fotografia de uma das participantes no estudo, tirada da janela do seu quarto durante a quarentena

Fazer trabalho de campo é talvez a minha parte preferida do processo de investigação. Conhecer pessoas, ir aos locais, observar a vida quotidiana, são para mim primeiras escolhas para recolha de dados. Não é que ignore o valor de uma boa desk research. É só que apesar de hoje em dia ser possível obter dados de grande qualidade a partir de fontes digitais, a investigação sobre catástrofes implica geralmente uma aproximação material ao campo, para averiguar perdas e impactos. No caso da minha investigação sobre jovens no interior e recuperação dos grandes incêndios de 2017, o contacto pessoal no terreno tem sido insubstituível no acesso a realidades muitas vezes invisíveis, porque afastadas dos grandes centros de produção mediática.

Entrevistar estes jovens não é fácil, pois a dispersão no território e as barreiras à sua mobilidade fazem com que estejam resguardados em suas casas. Os ambientes de aprendizagem informal que constituem a minha base de recrutamento também têm um funcionamento irregular, o que implica reorganizações de última hora e cancelamentos. Por outro lado, os próprios jovens têm as suas agendas e vontades, e nem sempre estão livres para falar comigo. Assim, iniciei recentemente a realização de entrevistas online via Whatsapp. O Whatsapp é a aplicação mais utilizada pelos jovens, e a que permite fazer vídeo entrevistas gratuitamente através do telemóvel. As entrevistas online são particularmente úteis para casos em que os sujeitos estão distantes ou em situação vulnerável, e dão flexibilidade aos utilizadores para escolherem o melhor momento. No entanto, levantam algumas questões. Continuar a ler

Call for papers – Conference “Generations and Social Change. Theoretical and Methodological Imagination in Play”

INFO_LIFE.png

European Sociological Association
RN 30 ‘Youth and Generation’ Mid-Term Conference 2020
Kuopio (Finland), 24-27 August 2020
Deadline: March 1st 2020 Continuar a ler

The eradication of violence against women and girls in Spain 21 Janeiro | 11h

Life_seminars.png

No próximo dia 21 de Janeiro o ciclo de seminários do grupo de investigação LIFE conta com a presença de Blanca Hernández Oliver, proveniente da Universidade Carlos III de Madrid e doutoranda-visitante no ICS-ULisboa, que irá apresentar o seu trabalho “The eradication of violence against women and girls in Spain: data, legal framework & public policies and challenges for the future, special attention to youth”. A entrada é livre.

life-21-janeiro_001-1.png

Continuar a ler

LIFE Seminar | 10 de Dezembro 2019

No próximo dia 10 de Dezembro o ciclo de seminários do grupo de investigação LIFE vai contar com a presença de Flávia Brocchetto Ramos, Investigadora Visitante no ICS-ULisboa, que irá apresentar o seu trabalho (em co-autoria com Lovani Volmer) A voz e o protagonismo de estudantes juvenis brasileiros: análise do projeto “Outros olhares”. A entrada é livre.

LIFE 10 dez_001 Continuar a ler