Saraus na Região Metropolitana de Belo Horizonte: vida cotidiana, formas de expressão e de agir político | 27 Abril | 11h





Na próxima terça-feira, dia 27 de abril de 2021, o LIFE Webinars contará com a participação de Rachel de Castro Almeida – Urban Studies Foundation Internacional Fellow e PUC Minas e EMGE.


Entre a alienação e a revolução: incursões em coletivos de saraus de periferia

Seguindo os rastros dos coletivos de sarau, da região metropolitana de Belo Horizonte, este artigo pretende analisar o papel da dimensão vida cotidiana, que na acepção de Lefebvre significa o movimento constante entre a rotina e a invenção, entre a tendência de repetição e a capacidade de transformação social. Esses coletivos são formados por jovens, majoritariamente moradores de áreas periféricas que vêm se revelando portadores de uma nova subjetividade capaz de explicar o seu lugar no mundo e fundamentar a sua existência a partir do orgulho de ser periférico, o que resulta em um novo modo de agir político.

Continuar a ler

Life nos media: janeiro-março 2021

Rubrica que destaca a voz de investigadores/as do LIFE Research Group nos media.


Público – P2 | 21-03-2021
Série CIÊNCIAS SOCIAIS EM PÚBLICO (LI)
«Masculinidades sob escrutínio: o debate sobre a residência alternada»
Artigo de Vanessa Cunha

“Entre 2018 e 2020, a sociedade portuguesa foi palco de um (in)tenso debate. Uma petição entregue na Assembleia da República pedia a alteração do Código Civil quanto ao “exercício das responsabilidades parentais em casos de divórcio”. Seguiu-se uma onda de contestação, por quem entendia a reivindicação como inconciliável com a proteção das vítimas da violência familiar. Porquê esta contestação? E porque é que o debate continua em aberto?”

Continuar a ler

“Desejo aprofundar os estudos sobre as transgressões de género – enquanto armas, alternativas e revelações das normas”

Sara Merlini é Investigadora Auxiliar no CIEG/ISCSP-ULisboa desde 2021 e Doutora em Sociologia pela Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais (ICS-ULisboa). Publicou recentemente o livro Género e Transgressão com apoio do projeto TRANSRIGHTS, coordenado por Sofia Aboim (ERC Consolidator Grant no.: 615594) no ICS-ULisboa.

Onde estás agora e o que prospectivas num horizonte temporal próximo?

Estou a trabalhar como Investigadora Auxiliar no Centro Interdisciplinar de Estudos de Género, do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (CIEG-ISCSP/ULisboa). Este concurso foi uma oportunidade de poder continuar a desenvolver a minha trajetória e estou muito entusiasmada por aprofundar mais conhecimentos e participar em projetos relacionados com a promoção da igualdade de género e a cidadania.

Terminaste o teu doutoramento no ICS em 2019, sobre a temática trans/género, e publicaste na Imprensa de Ciências Sociais do ICS o livro Género e Transgressão, que tem por base a tua pesquisa. Como é que esta investigação e esta problemática ajudaram a fazer/desfazer características enquanto pesquisadora e socióloga?

A minha aproximação aos temas trans/género permitiu-me desenvolver e aprofundar modos de olhar e conhecimentos que não dispunha antes da tese. A desconstrução sobre o género e a conceção da transgressão são anteriores ao início do projeto, mas o tema não binário era desconhecido e implicou um longo processo de aprendizagem que para mim ainda não terminou. Penso que esta investigação, e o livro nela baseado, foram um primeiro passo, que me permitiu sobretudo aprender a desfazer as matrizes binárias que incorporei ao longo da vida, amadurecer modos de reconhecimento plural das experiências de género e questionar criticamente expectativas e horizontes normativos.

Continuar a ler

Capítulos e Artigos em Abril

POST_SCRIPTUM.png

Depois de dois meses de interregno, a rubrica Post Scriptum regressa para vos dar conta das publicações de colegas do Grupo de Investigação LIFE (ICS-ULisboa).

O mês de abril de 2021 está repleto de novidades, com cinco novas publicações, entre livros, capítulos e artigos.

A primeira menção vai para a edição em livro de Youth Studies and Generations: Values, Practices and Discourses on Generations, um número especial da revista Societies organizado por Vitor Sérgio Ferreira. O livro reúne várias contribuições que discutem questões relacionadas com o uso de geração, tanto enquanto conceito teórico, como enquanto categoria social. Procurando lançar luz sobre as principais controvérsias e tendências, o livro também aborda os cuidados a ter nos usos científicos do termo. Entre outros, conta com contribuições do próprio Vitor Sérgio Ferreira e de Vasco Ramos.

A segunda menção vai para Changes to children’s forms of living in contemporary Portugal, um capítulo da autoria de Ana Nunes de Almeida e Vasco Ramos. Inserido numa obra sobre as condições e experiências de vida das crianças em contextos na Europa do Sul, o capítulo começa por traçar um retrato da evolução demográfica das crianças em Portugal, bem como dos contextos e valores associados à família no nosso país. O capítulo salienta a importância de fazer uma sociologia com as crianças e mobiliza dados de pesquisas recentes que ouviram as perspectivas infantis acerca de diversas questões e problemas sociais (desde a sua participação no trabalho doméstico, ao relevo que as TI têm no seu quotidiano, passando pelo modo como são afectadas por crises económicas ou pela pobreza).

No que diz respeito a artigos, destacamos três novas publicações.

Em Fierce flames: Evoking wildfire disaster emotions through children’s drawings, Ana Sofia Ribeiro (e Isabel Silva) analisam uma amostra de desenhos de alunos afectados pelos incêndios florestais que em 2017 devastaram regiões do centro-interior de Portugal. As narrativas infantis expressam preocupação com a segurança dos próprios, daqueles que lhes são próximos e também com os danos ecológicos. As autoras argumentam que esta metodologia é um poderoso auxiliar na reflexão e expressão de narrativas de experiências traumáticas, tendo ainda uma riqueza visual que suplanta os mundos e as preocupações com os humanos.

Em Feeding the family at the end‐of‐life: An ethnographic study on the role of food and eating practices for families facing death in Portugal, Ana Patrícia Hilário e Fábio Rafael Augusto abordam questões relacionadas com a alimentação em doentes terminais e suas famílias. O trabalho tem por base trabalho etnográfico em unidades de cuidados paliativos e observação participante. Os resultados sugerem que as práticas alimentares no fim de vida interferem nos processos de relacionalidade e de “fazer família”, corroborando resultados de outras pesquisas sobre a materialidade do cuidado.

Finalmente, em The mediating role of patient satisfaction and perceived quality of healthcare in the emergency department, Pedro Alcântara da Silva (com Alina Abidova e Sérgio Moreira) estudam em que medida os “drivers” de satisfação e perceção da qualidade nos cuidados de saúde afetam a confiança dos pacientes nos serviços de urgência. Trata-se de um estudo quantitativo realizado no serviço de urgência de um Hospital público da Área Metropolitana de Lisboa. A análise tem por base equações estruturais com múltiplos factores explicativos. Os resultados mostram que, não obstante a interferência de outros factores, a satisfação com o atendimento médico e o cumprimento de expectativas são os dois aspectos mais passíveis de influenciar, de forma direta e indireta, a confiança nos serviços de urgência.

Boas leituras!


LIVROS

Vítor Sérgio Ferreira (Ed.)
Youth Studies and Generations: Values, Practices and Discourses on Generation
MDPI.  ISBN 978-3-03928-326-2 (Pbk); ISBN 978-3-03928-327-9 (PDF)
http://hdl.handle.net/10451/46897


CAPÍTULOS

Ana Nunes de Almeida, Vasco Ramos
Changes to children’s forms of living in contemporary Portugal
In Lourdes Gaitán, Yannis Pechtelidis, Catarina Tomás, Natália Fernandes (Eds.), Children’s Lives in Southern Europe: Contemporary Challenges and Risks, pp. 47–61
London: Edward Elgar. ISBN: 978-1-78990-123-8
http://hdl.handle.net/10451/46905


ARTIGOS

Ana Sofia Ribeiro, Isabel Silva
Fierce flames: Evoking wildfire disaster emotions through children’s drawings
Global Studies of Childhood, First Published February 23, 2021  DOI 10.1177/2043610621995823.
http://hdl.handle.net/10451/47120

Ana Patrícia Hilário, Fábio Rafael Augusto
Feeding the family at the end‐of‐life: An ethnographic study on the role of food and eating practices for families facing death in Portugal
Health and Social Care in the Community, First published: 11 March 2021. DOI 10.1111/hsc.13345
http://hdl.handle.net/10451/47068

Alina Abidova, Pedro Alcântara da Silva, Sérgio Moreira
The mediating role of patient satisfaction and perceived quality of healthcare in the emergency department
Medicine, 100:11(e25133). DOI 10.1097/MD.0000000000025133
http://hdl.handle.net/10451/47117


“Food in transition(s)”. Práticas alimentares ao longo do percurso de vida

POST-CAST.png

Vasco Ramos, investigador no ICS-ULisboa


Ponto de partida

Nas últimas décadas, os riscos associados à alimentação têm estado na ordem do dia. Algumas dessas preocupações radicam nos “sustos alimentares” trazidos pela Gripe das Aves ou pela Doença das Vacas Loucas. Simultaneamente, tem crescido a gama de suspeitas populares sobre a origem, composição e integridade dos alimentos. Apesar da aparente novidade desta situação. os medos alimentares acompanham a humanidade desde os primórdios e, segundo autores como Fischler, decorrem da condição de omnívoro. Os humanos sobrevivem com dietas muito diversas. Mas o omnivorismo tem como contrapartida alguma angústia perante a novidade e a necessidade de escolher. Atualmente, há outras ansiedades associadas à alimentação, que se manifestam nos discursos que questionam a capacidade dos indivíduos se alimentarem de forma adequada. Há um receio de que as famílias já não partilhem a mesa no dia-a-dia, facto encarado como indicador da dissolução de uma certa noção de família. Estes discursos têm uma componente moral e, embora não correspondam à realidade observada, são usados, por vezes, para caracterizar jovens adultos ou famílias em situação de pobreza.

Continuar a ler

JOINT WEBINAR – Agricultura Urbana na cidade de Lisboa | 13 Abril | 11h

Na próxima terça-feira, dia 13 de abril de 2021, os grupos de investigação LIFE-Percursos de Vida, Desigualdade e Solidariedade: Práticas e Políticas e ATS-Ambiente, Território e Sociedade, organizam, em conjunto, um webinar que contará com a participação de Laura Martins de Carvalho – Assistente de Pesquisa – Centro de Administração Pública e Governo / FGV-SP e membra do Laboratório de Pesquisas sobre Ação Pública para o Desenvolvimento Democrático – LAP2D.


A apresentação mostra os potenciais, os desafios e as limitações da Agricultura Urbana engendrada pelo poder público, por agricultores de bairros sociais e pelas novas iniciativas propostas pela juventude.

Continuar a ler

Os Milénio Têm os Dias Contados: homens e mulheres – voluntária e involuntariamente – sem filhos num ano pandémico| 16 Março | 11h





Na próxima terça-feira, dia 16 de março de 2021, o LIFE Webinars contará com a participação de David Cruz – doutorando em sociologia no OpenSoc, ICS-ULisboa.


A apresentação enquadra-se no desenvolvimento da tese de doutoramento «Between Involuntary Childlessness and Childfree: representações e produção de significado de millennials sem filhos em Portugal» que tem procurado averiguar como é que os milénios que não têm filhos experienciam, percecionam e gerem a sua condição childlessness/childfree e a incerteza quanto a uma transição para a parentalidade/convicção de permanecerem sem filhos.

Continuar a ler

A crítica de Norbert Elias ao nominalismo: da filosofia europeia moderna à sociologia da vida quotidiana| 23 Fevereiro | 11h





Na próxima terça-feira, dia 23 de fevereiro de 2021, o LIFE Webinars contará com a participação de Diogo Silva da Cunha, doutorando em Filosofia da Ciência, Tecnologia, Arte e Sociedade no ICS-ULisboa.


Apesar de algum interesse manifesto nos campos da sociologia geral, da teoria social e da sociologia da cultura, a atenção prestada à obra de Norbert Elias esteve largamente restringida aos domínios da sociologia do desporto e da história medieval e moderna e, quando muito, da metodologia historiográfica. Em particular, a leitura dos seus trabalhos sobre conhecimento e ciências e a aplicação do seu programa à investigação destes assuntos são pouco frequentes.

Continuar a ler

À roda dos valores em Portugal: questões metodológicas e resultados do inquérito online a crianças, adolescentes e pais| 09 Fevereiro | 11h





Na próxima terça-feira, dia 09 de favereiro de 2021, o LIFE Webinars contará com a participação de Iva Tendais, investigadora no ICS-ULisboa.


O projeto CLAVE: O desenvolvimento dos valores humanos na infância e na adolescência foi concebido num momento em que a população europeia enfrenta múltiplos desafios no domínio da integração da diversidade social e cultural. Neste contexto, o mapeamento da prevalência e expressão dos valores humanos básicos (Schwartz, 1992) nas sociedades e do seu papel na formação das representações de justiça e das atitudes face a diferentes grupos sociais (idade, género, nacionalidade, etc.) e nas perspetivas dos indivíduos face ao seu bem-estar torna-se premente.

Continuar a ler

Making sense of young people’s negotiation of tourism landscapes in Goa and Lisbon

Sinead D’Silva, Research Fellow at Instituto de Ciências Sociais – Universidade de Lisboa (ICS-ULisboa)

In this blog post, I want to spend some time talking about the motivation behind my research, exemplified through the active form of resistance and sense of place-making by young people in Goa as they make sense of their futures by confronting their present and past.

First, I will provide an overview of the project, followed by some primary observations and an example of why I feel it is crucial to not forget that even in situations of seeming complacency or even existence for sustenance, resistance may eventually emerge. Finally I will explain the expected direction for the research to proceed. Here, the young person is located within the research as considerations are made regarding ‘futures’.

Continuar a ler