Capítulos e Artigos em Novembro

POST_SCRIPTUM.png

Nesta rubrica mensal damos destaque às publicações de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULIsboa).

Nesta entrada do Post Scriptum destacamos um capítulo e um artigo

Manuel Villaverde Cabral, no capítulo A sociedade portuguesa na década de 1960, defende que a história de um determinado problema específico ou período dificilmente se cinge apenas a uma década. Debatendo os anos Sessenta em Portugal, discute quais os marcos que, a montante e a jusante, balizam o turbilhão de transformações então ocorridas.

Maria Manuel Vieira, no artigo Ética e deontologia no exercício da sociologia: novos desafios, identifica alguns dos desafios que se colocam aos sociólogos no exercício da profissão. No artigo equaciona-se a necessidade de actualizar as normas vertidas no código deontológico da APS, a partir da recolha e discussão das cartas de princípios éticos de associações congéneres europeias.

Boas leituras!


CAPÍTULO

Manuel Villaverde Cabral
A sociedade portuguesa na década de 1960
In Brito, J. M. B. de, Santos, P. B. (Eds.), Os anos sessenta em Portugal. Duas governações, diferentes políticas públicas?, pp. 37-50
Porto: Afrontamento. ISBN 978-972-36-1821-1
http://hdl.handle.net/10451/44692

ARTIGO

Maria Manuel Vieira, Ana Matias Diogo, Ana Paula Marques
Ética e deontologia no exercício da sociologia: novos desafios
Sociologia On Line, 23, 31-50. DOI 10.30553/sociologiaonline.2020.23.2
http://hdl.handle.net/10451/44522



A Participação da Mãe no Mercado de Trabalho e o Diferencial de Anos de Estudo por Gênero entre Adolescentes | 17 Novembro | 11h





Na próxima terça-feira, dia 17 de novembro de 2020, o LIFE Webinars contará com a participação de Ana Cecília de Almeida, do Ministério da Saúde, Brasil.


Continuar a ler

Livros em Novembro

POST_SCRIPTUM.png

Nesta rubrica mensal damos destaque às publicações de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULIsboa).

Na edição de novembro do Post Scriptum dedicada a livros, o destaque vai na integra para O Choque Tecno-liberal, os Media e o Jornalismo, livro publicado sob a coordenação de José Luis Garcia e com a participação de Teresa Duarte Martinho e José Nuno Matos, entre outros investigadores.

Publicada com a chancela da Afrontamento, esta obra está organizada em três partes. Na primeira parte reunem-se textos que discutem as transformações recentes no jornalismo, impulsionadas pelo processo de digitalização e pela viragem neoliberal. Na segunda parte abordam-se as contradições do paradigma da colaboração nas modalidades de produção informativa digital. A terceira parte explora alguns cenários da precarização no jornalismo. A conclusão desenvolve uma visão simultaneamente ampla e crítica sobre os efeitos da digitalização e da liberalização do panorama mediático português.

Sem dúvida, uma obra importante no contexto actual. Boas leituras!

LIVROS e CAPÍTULOS

José Luís Garcia (Coord.), Teresa Duarte Martinho, Diogo Silva da Cunha, Marta Pinho Alves, José Nuno Matos, Sara Meireles Graça
O choque tecno-liberal, os media e o jornalismo: estudos críticos sobre a realidade Portuguesa
Lisboa: Almedina
ISBN 978-972-40-8638-5
http://hdl.handle.net/10451/44669

José Luís Garcia
Finalizar um livro sobre comunicação, media e jornalismo em Portugal na conjuntura da pandemia provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2: fragmentos para uma introdução
In Garcia, J. L. (coord.), Martinho, T. D., Cunha, D. S. da, Ramalho, J., Alves, M. P., Matos, J. N., Graça, S. M. (Eds.), O choque tecno-liberal, os media e o jornalismo: Estudos críticos sobre a realidade Portuguesa, pp. 9-24
Lisboa: Almedina
ISBN 978-972-40-8638-5
http://hdl.handle.net/10451/44670

José Nuno Matos
Carga de Trabalhos: o jornalista que é procurado na web
In Garcia, J. L. (coord.), Martinho, T. D., Cunha, D. S. da, Ramalho, J., Alves, M. P., Matos, J. N., Graça, S. M. (Eds.), O choque tecno-liberal, os media e o jornalismo: Estudos críticos sobre a realidade Portuguesa, pp. 293-312
Lisboa: Almedina
ISBN 978-972-40-8638-5
http://hdl.handle.net/10451/44623

Teresa Duarte Martinho
Artes, curadoria informacional e reputação na revista Artecapital
In Garcia, J. L. (coord.), Martinho, T. D., Cunha, D. S. da, Ramalho, J., Alves, M. P., Matos, J. N., Graça, S. M. (Eds.), O choque tecno-liberal, os media e o jornalismo: Estudos críticos sobre a realidade Portuguesa, pp. 203-228
Lisboa: Almedina
ISBN 978-972-40-8638-5
http://hdl.handle.net/10451/44625

José Luís Garcia, Teresa Duarte Martinho
Conclusão: tendências críticas da digitalização e da liberalização dos media para o jornalismo português
In Garcia, J. L. (coord.), Martinho, T. D., Cunha, D. S. da, Ramalho, J., Alves, M. P., Matos, J. N., Graça, S. M. (Eds.), O choque tecno-liberal, os media e o jornalismo: Estudos críticos sobre a realidade Portuguesa, pp. 323-348
Lisboa: Almedina
ISBN 978-972-40-8638-5
http://hdl.handle.net/10451/44624

Da pré à pós pandemia: Desafios e dilemas da investigação



Andreia Micaela Nascimento é doutoranda em Sociologia (OpenSoc) no ICS-ULisboa

As inquietações que motivaram o desejo de estudar os projetos de vida ligados ao ensino superior dos jovens estudantes finalistas do ensino secundário na Madeira surgiram de pistas soltas, resultantes de um longo percurso de trabalho e de pesquisa sobre os estudantes da Universidade da Madeira (UMa), em especial, sobre as suas dificuldades, escolhas e motivações.

Continuar a ler

A Festa acabou? Jovens em tempo de pandemia | 10 Novembro | 11h





Na próxima terça-feira, dia 10 de novembro de 2020, o LIFE Webinars contará com a participação de Ana Sofia Ribeiro, Maria Manuel Vieira e Ana Nunes de Almeida, investigadoras no ICS-ULisboa, que nos irão apresentar alguns dos resultados de um inquérito online sobre a Pandemia Covid-19, realizado por uma equipa de investigadores do ICS/ISCTE, com especial enfoque sobre o quotidiano em confinamento dos jovens dos 16 aos 24 anos.


Continuar a ler

Life nos media: julho-setembro

Rubrica que destaca a voz de investigadores/as do LIFE Research Group nos media.


Público – P2 | 27-09-2020

CIÊNCIAS SOCIAIS EM PÚBLICO (XXVI)

Cem anos de lutas femininas e feministas em Portugal: o exemplo das pioneiras

«Cem anos de lutas femininas e feministas em Portugal: o exemplo das pioneiras»
Artigo de Anne Cova, Isabel Freire e Vanda Gorjão

“Da implementação da República à Revolução dos Cravos, várias associações femininas e feministas lutaram pelos direitos das mulheres. Durante o Estado Novo, este ativismo foisilenciado, mas as suas protagonistas continuaram a associar-se em prol da democracia. O vanguardismo e o mérito das ações de algumas destas mulheres do século XX vêm sendo reconhecidos. Mas são ainda muitos os percursos esquecidos em arquivos dispersos e por abrir.”


Público – P2 | 26-07-2020

CIÊNCIAS SOCIAIS EM PÚBLICO (XVII)

Trabalho: perante a incerteza, os mais novos procuram ser “felizes naquilo que fazem”

«Trabalho: perante a incerteza, os mais novos procuram ser “felizes naquilo que fazem”»
Artigo de Vítor Sérgio Ferreira

“Se a insegurança e o risco estão em todos os caminhos disponíveis, porque não estudar e/ou fazer o que realmente se gosta, em vez de optar por rumos que, supostamente, conferem maiores garantias, como seja um percurso no ensino superior? Porque não explorar uma prática que dê prazer e que, quem sabe, pode vir a tornar-se um trabalho de onde certamente se obterá um sentimento de realização pessoal e profissional?”


RTP – Sociedade Civil | 25-09-2020

Sociedade Civil Episódio 124 - de 25 Jun 2020 - RTP Play - RTP

O programa da RTP “Sociedade Civil” emitido no dia 25 de junho teve como tema os “ANIMAIS” e contou com a presença de Verónica Policarpo.


90 segundos de ciência | 17-09-2020

A imagem pode conter: texto que diz "segundos de ciência"

Alice Ramos apresentou o projeto Projeto CLAVE no 90 Segundos de Ciência (Antena Um), um projeto que pretende perceber como é que se formam e desenvolvem os valores humanos nas crianças entre os 6 e os 14 anos. Episódio deste podcast (17/9) no link:
https://www.rtp.pt/play/p2936/e491454/90-segundos-ciencia


RTP – Linha da Frente | 16-09-2020

Linha da Frente Episódio 16 - de 16 Jul 2020 - RTP Play - RTP

Reportagem “HERDEIROS DA PANDEMIA” emitida no dia 16 de julho na Linha da Frente RTP, sobre vivências juvenis da pandemia e o futuro, com declarações de Vítor Sérgio Ferreira.


Artigos em Outubro (II)

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum após o período estival damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Nesta segunda entrada da rubrica damos destaque a três artigos publicados na revista Portugal Journal of Social Sciences (PJSS). Este número do PJSS contém um dossier temático organizado em co-autoria pela Vanessa Cunha, que também co-assina a introdução. O tema deste dossier é a questão do tempo. Sendo este um tema com uma amplitude vastíssima, os artigos incluídos abordam temas muito variados, desde a gestão e usos do tempo nos quotidianos familiares à estrutura dos tempos biográficos e geracionais.

Sofia Aboim, no artigo Reassessing (De)standardization: Life course trajectories across three generations, analisa de forma crítica a aplicabilidade da hipótese de desandardização do percurso de vida no caso português. Partindo da análise das trajetórias de vida de três gerações de portugueses e portugueses, a autora procura identificar a existência de uma biografia padrão, para posteriormente derivar da mesma padrões de heterogeneização das trajetórias. Nesta perspectiva, reavalia em que medida o modelo de desandardização é adequado para explicar as transformações do percurso de vida na sociedade portuguesa.

Mafalda Leitão, no artigo Time-sharing in parental leave: Why and how fathers assess their time to care home alone, discute os desenvolvimentos recentes nas políticas de licença parental e o seu papel nas políticas de igualdade de género. O trabalho tem por base um estudo qualitativo em Portugal. A autora identifica duas motivações principais para a partilha da licença parental por pais e mães – assistenciais e instrumentais. Estas motivações influenciam de forma decisiva o tempo usado pelos pais. São identificados vários perfis que articulam estas motivações com a negociação familiar do tempo e os contextos laborais.

Boas leituras!


ARTIGOS

Sofia Aboim
Reassessing (De)standardization: Life course trajectories across three generations
Portuguese Journal of Social Science, 18(3), 299-318 https://doi.org/10.1093/sp/jxaa011

Mafalda Leitão
Time-sharing in parental leave: Why and how fathers assess their time to care home alone.
Portuguese Journal of Social Science, 18(3), 265-282 http://hdl.handle.net/10451/44442



Artigos em Outubro (I)

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum após o período estival damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Este período foi muito prolífero em termos de artigos. Nesta primeira entrada da rubrica damos destaque a três artigos que abordam questões de sexualidade, reconhecimento da identidade sexual e cidadania.

Sofia Aboim, no artigo Fragmented Recognition: Gender Identity between Moral and Legal Spheres, discute os pressupostos e as modalidades de reconhecimento legal dos indivíduos transgénero em diferentes geografias (Reino Unido, Portugal e Nepal). Baseando-se na noção de esferas de reconhecimento de Axel Honneth e na crítica de Nancy Fraser ao modelo de identidade de reconhecimento, argumenta que não apenas o reconhecimento da identidade implica o não reconhecimento, mas também que diferentes formas de reconhecimento funcionam de maneiras que produzem fragmentação e disjunção.

A dinâmica paradoxal de reconhecimento é ilustrada num outro artigo (Gender in a box? The paradoxes of recognition beyond the gender binary) em que Sofia Aboim argumenta que o modelo de reconhecimento de identidade de género tende a impor uma norma em vez de reconhecer a diversidade. O texto examina o caso do Nepal numa perspectiva comparativa com outros desenvolvimentos na Ásia e na América do Sul, demonstrando que o modelo de reconhecimento de identidade é cúmplice de sentimentos e práticas de não reconhecimento.

Bojan Bilić explora os debates em torno de Ana Brnabić, a primeira primeira-ministra abertamente lésbica na Sérvia e na Europa Oriental. Com base em diversas fontes empíricas, argumenta que os atores envolvidos nos debates sobre a vida (pública e privada) de Brnabić estão emaranhados num ciclo de abjeção e em fortes tendências patriarcais. Segundo o autor estas tendências são transversais ao espectro político e estruturais na política da Sérvia.

Boas leituras!


ARTIGOS

Sofia Aboim
Fragmented Recognition: Gender Identity between Moral and Legal Spheres
Social Politics: International Studies in Gender, State & Society, jxaa011, https://doi.org/10.1093/sp/jxaa011

Sofia Aboim
Gender in a box? The paradoxes of recognition beyond the gender binary
Politics and Governance, 8 (3) DOI: 10.17645/pag.v8i3.2820
http://hdl.handle.net/10451/44219

Bojan Bilić
Ana is here: Abjection, class privilege, and the prime minister Ana Brnabić
Sociologija, 62(3), 378-396. DOI 10.2298/SOC2003378B http://hdl.handle.net/10451/44442



Livros em Outubro

POST_SCRIPTUM.png

Neste regresso da rubrica mensal Post Scriptum, após o período estival, damos destaque a publicações (livros, capítulos de livros e artigos) de investigadores/as do LIFE Research Group (ICS-ULisboa).

Boas leituras!


LIVROS

Isabel Freire
Sexualidades, Media e Revolução dos Cravos
ISBN: 978-972-671-596-2.

O novo livro de Isabel Freire procura responder à questão: que temas da intimidade afetiva e sexual entram na agenda mediática com a chegada da Revolução dos Cravos? A partir de uma análise extensiva da imprensa da época, identificam-se assuntos que vão desde o amor livre, feminismo e, homossexualidade, à educação sexual e contraceção, passando pelo aborto e terapia sexual. A autora analisa ainda a polémica gerada em torno da carta de uma jovem de 14 anos que se inicia sexualmente na noite de 25 de Abril de 1974, O estudo da agenda mediática das sexualidades neste momento de mudança política e social é um contributo para a reflexão sobre a cidadania da intimidade em Portugal, em (re)equação permanente até aos nossos dias.


A rede de trabalho sexual na pandemia de COVID-19 no Brasil e Portugal

Foto/colagem de Roseli Bregantin Barbosa

Roseli Bregantin Barbosa é doutoranda em Sociologia na Universidade Federal do Paraná, Brasil, e doutoranda-visitante no ICS-ULisboa

O trabalho sexual funciona em rede e promove a migração de trabalhadores de uma modalidade de serviço para outra. A prostituta de hoje é a stripper de amanhã, ou atriz pornô, modelo de nu explicito, entre outras atividades desse setor (Diàz-Benitez, 2010). Essa rede foi vital na quarentena, quando o atendimento corpo-a-corpo no trabalho sexual ficou proibido e a clientela ficou retida em casa. A pandemia deixou milhares de trabalhadores do sexo sem trabalho e sem ter como sobreviver. A falta de regulação efetiva para esse setor promove uma condição precária que expõe milhares de trabalhadores sexuais à situação de penúria (na maioria, mulheres), sem qualquer auxílio previdenciário. A solução para muitas foi migrar para o camming – trabalho sexual online através de uma web cam. Contudo, essa modalidade não é das mais democráticas, exige investimentos, equipamentos e conhecimentos específicos, nela as variáveis escolaridade e classe social (além da cor) impactam mais fortemente nos rendimentos (Sanders et. al., 2018).

Continuar a ler